Postagens populares

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo.

Já postei os meu agradecimento, minha alegria em passar conteúdos e ideias, mas ainda não comemorei o fato de pode recomeçar um ano.

Eis a magia do Ano Novo, que não está numa linda queima de fogos ou em uma farta mesa de quitutes. A verdadeira magia do Ano Novo é a de começar um Ano Novo, desarquivando a fileira de projetos e deixando a vida ser feliz, dentro do limite da harmonia, sanidade e compreensão.

Desejo um Ano de 2012 repleto de conquistas, paz, saúde, amor, felicidade, prosperidade e tudo de bom que existir.

Desejo a magia de recomeçar!!!

Feliz 2012!!!


Receita de ano novo


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo
até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens? passa telegramas?)

Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.


Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

A Ganância e o Petróleo.


Uma coisa é fato, qualquer extração petrolífera em águas e em solo territorial tem seus vazamentos, porém suas proporções, de alguma forma, já são contabilizadas e manobradas, desde verbas indenizatórias (os Royalties) até planejamento contra tragédias e impactos ambientais.

A exploração de petróleo em águas profundas é algo recente para as empresas, exceto para a Petrobrás, porque esta desenvolveu grandes explorações em mares, porém todas as exploradoras tem algo em comum: a ganância.

Outro fato é que a negligência na exploração petrolífera significa lucros, já que sem investimentos em equipamentos mais avançados e em novas tecnologias, com a mera e devassa preocupação de enriquecimento num curto espaço de tempo de empresas abandonando qualquer tipo de proteção aos trabalhadores e ao meio-ambiente, o lucro é maior e mais sólido. Equipamentos e prevenção custam caro.

O que aconteceu com a Amazônia Equatoriana, além de outras áreas terrestres, no início das explorações petrolíferas, foram grandes acidentes, recheados de devastações e quebra do ecossistema local, pois, tal exploração, ainda era recente e sem qualquer tipo de planejamento ou cuidado com o meio ambiente. Equipamentos modernos e estudos para amortização dos impactos ambientais custariam caro.

A exploração em águas profundas caminha para o mesmo passo, sem nenhum pudor e com grande degradação, visando um grande progresso em riquezas futuras, porém amparado pelo despreparo e em depredação do bem ambiental. Certo é que não haverá riqueza futura, mas ossos rachados pela ganância de sugar até o último grão.

O lucro imediato é passageiro, mas os seus danos são duradouros.

Explorar petróleo é poluir de uma certa forma, seja na extração ou no produto final (gerando carbono etc), porém medidas contra tais consequências é obrigação, obrigação esquecida pela ganância de arrecadar e compartilhar verbas com os amigos do poder.

Está na hora de rediscutir o impacto ambiental da exploração do petróleo, o preparo e planos de contingências.

Aonde está o Congresso Nacional para convocar uma audiência pública, além de inquerir os presidentes das exploradoras dos nossos poços de petróleo?

E o Ministério de Minas e Energias, além do Meio-Ambiente?

Aonde está a ANP, agência responsável pela regulação do meio?

Fechar os olhos em prol da ganância é o fator gerador dos piores flagelos sociais, assim como a pobreza e a devastação de riquezas sociais e ambientais.

Mesmo que a escuridão pareça infinita a força da luz comprova sua magnitude em brilhar.

Contrastes.


Para refletir...

Dois temas, no portal do G1, chamaram a atenção:

1) Caça de Animais: operação inédita vai 'expulsar' espécie de mico-leão do Rio de Janeiro.
2) Falta de Caça de um Animal: Mesa Diretora do Senado empossa Jader Barbalho nesta quarta (28/12/11).

A Lei da Ficha Limpa não teve efeitos nas eleições de 2010, porém a caça de micos está em alta.

O Brasil, realmente, é craque em caçar micos!


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Mensagem do Dia.

Pare, pense e faça!
Você é o principal responsável pela sua ação e/ou reação.

Pensamento do Dia.

"Ajudar é um verbo divino. Devemos conjugá-lo." (Chico Anysio)

Grandes pessoas iniciam por pequenas atitudes, já as pequenas só pensam em iniciar.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Pensamento do Dia.

A natureza é infinita em simplicidade e surpreendente em beleza.

Sol poente às 19:58 (26/12/11). Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.



Justiça X Política = CNJ.

Inescrupulosa a decisão do Ilmo. Ministro Marco Aurélio Mello, corroborado pelo Ilmo. Min. Ricardo Lewandowski, não somente abriu uma crise no judiciário, demonstrou um alcance de uma longa briga política no Planalto Central.

Esvaziar os poderes do CNJ não significa, apenas, dotar os Magistrados como os “Intocáveis de Toga” significa interpelar que qualquer poder de atuação contra membros e indicados pelo governo, desde o judiciário, não ultrapassará a barreira corruptível imposta pelo atual poder.

Há uma quadrilha, ou melhor, uma guerrilha, que tomou pleno controle de todos os poderes (executivo, legislativo e judiciário), assim como dominou a mídia e alienou classes da camada social.

Quanto maior a manipulação no Judiciário, maior será a impunidade e sua proporção.

A decisão do STF de reduzir os poderes do CNJ suspende a investigações de 70 juízes e servidores apenas no Tribunal de Justiça de SP, Estado Governado pelo PSDB, porém já indicava grandes traços contra Magistrado do Estado do Rio de Janeiro, inclusiva quanto a participação em obras da Delta (aliada de Sérgio Cabral) e supostas participações do desembargador Luiz Zveiter.

Não somos contra a atuação da Ministra Eliana Calmon, ao contrário, e confiamos na competência e no histórico contra a corrupção no judiciário, porém o vulto político sempre assombra as oportunidades.

Certo é que a Ministra não sofre, somente, uma pressão de sua base jurídica, mas também da base política e legislativa.

Para melhor informar o leitor, desmembramos as partes:

1) O CNJ

- O CNJ foi criado pela Emenda Constitucional nº 45/2005, visando controlar a atuação administrativa e financeira dos demais órgãos do poder judiciário, bem como de supervisionar o cumprimento dos deveres funcionais dos juízes, no desenvolvendo ações e projetos destinados a garantir o controle administrativo e processual, a transparência e o desenvolvimento do Judiciário.

- O CNJ, além de fiscalizar as dotações orçamentárias dos tribunais, é instrumento de veto contra membros do Judiciário indicados pelo Governo.

2) Eliana Calmon

- A Ministra já proferiu mais de 100 mil decisões - entre monocráticas (sozinha) e recursos de sua relatoria - em seus 12 anos de STJ. Entre elas, despachou a ordem de prisão de todos os investigados na Operação Dominó.

- Foi também a primeira juíza de carreira a chegar a um tribunal superior, sendo nomeado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso, em 1999, para integrar o Superior Tribunal de Justiça (STJ).

-Em entrevista ao programa Roda Viva, que não julga processos relacionados com seus padrinhos políticos, dentre eles Antônio Carlos Magalhães, o mesmo que indicou o nome da Ministra para o STJ.

- Antônio Carlos Neto (DEM-BA) deu pleno apoio a indicação da Douta Ministra, engajando sua nomeação ao CNJ.

- O DEM, antigo PFL, sofre um sério esvaziamento político em prol do enfraquecimento da oposição governista.

3) Marco Aurélio de Mello

- Foi nomeado pelo presidente Fernando Collor de Mello, seu primo, um mero nepotismo, em maio de1990, para a vaga de Ministro do STF;

- Em julho de 2000, concedeu habeas corpus a Salvatore Alberto Cacciola, proprietário do falido Banco Marka, foi o único ministro a votar a favor de conceder ordem de habeas corpus a Suzane Louise von Richthofene foi responsável por conceder dois habeas corpus a Antônio Petrus Kalil – o "Turcão" – acusado de explorar caça-níqueis.

- É conhecido como “voto vencido”, tendo em vistas suas decisões polemicas e fins partidários assumidos em vários votos.

4) Ricardo Lewandowski

- Em 1990, foi indicado, pelo quinto constitucional, para compor o Tribunal de Alçada Criminal do Estado de São Paulo, cargo que ocupou até 1997, quando foi indicado para o Tribunal de Justiça de São Paulo.

- Todas as indicações o Ministro sofreram impulsos de esquerda de São Paulo, a qual é traçada pela Cúpula do PT (Dirceu e Compania).

- Quando desembargador do Tribunal de Justiça do estado de SP, de pagamentos indevidos avaliados em 700 mil reais, do próprio tribunal. Cesar Peluso, presidente do STF, também participou de todo o escândalo.

5) 5 estrelas do PT

- O PT já demonstrou sua ordem em derrocar todos os poderes em sua ordem, em prol de uma Reforma Administrativa dos Três Poderes.

- A Reforma do Judiciário é tema forte da oposição, assim como a Ministerial, sendo necessário o embate dos aliados para o enfraquecimento do tema.

Resumo: a briga é maior do que imaginávamos, porém ainda há muita lama para jorrar.

domingo, 25 de dezembro de 2011

Plante seus votos!


Agora que o Natal acabou vamos plantar umas coisas: que todos os votos desta data sejam renovados a cada dia de nossas vidas, guiando os nossos passos e construindo um Mundo melhor.
Vamos viver o espírito de amor, compreensão, afeto e carinho em todos os momentos de nossas vidas, assim como os votos de saúde e paz.
Vamos cultivar esta semente, pois a árvore brotará!
Felicidades!!!


sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal.

Desejamos, com toda a gratidão e carinho, um Feliz Natal, repleto e amor e paz.

Que cada lar tenha a mesma chama da alegria e prosperidade, com a sensação de que algo novo surge em nossas vidas, renovando nossas esperanças e revigorando nossas alegrias.

Concebemos que a importância desta data não está em uma ceia farta ou presentes e enfeites, está em corações carregados de afeto e amor, compreensão e muito carinho, carinho o suficiente para alimentar a todos os nossos e os vossos, a todos que compartilham do mesmo espírito de renovação.

Independente de religião, eis uma data onde todos devem compartilhar um mesmo sentido, a renovação e o nascimento da vontade de mudar, de amar, de respeitar e de viver a vida compreendendo que juntos seremos mais.

União e paz são os votos que desejo.

Um Feliz Natal!!!



POESIA DE NATAL

Cora Coralina

Enfeite a árvore de sua vida
com guirlandas de gratidão!
Coloque no coração laços de cetim rosa,
amarelo, azul, carmim,
Decore seu olhar com luzes brilhantes
estendendo as cores em seu semblante

Em sua lista de presentes
em cada caixinha embrulhe
um pedacinho de amor,
carinho,
ternura,
reconciliação,
perdão!

Tem presente de montão
no estoque do nosso coração
e não custa um tostão!
A hora é agora!
Enfeite seu interior!
Sejas diferente!
Sejas reluzente!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Agradecimentos.


Eu não quero mudar o mundo com o meu ideal, mas quero ajudar, e muito, uma visão de um mundo melhor, tangível para todos, onde podemos tocar a realidade como uma brisa de honestidade, a qual abastece o ser com dignidade e muita prosperidade.

A real magia desta época do ano é modificar, nem que seja por segundos, o pensamento, a atenção ou a admiração humana. Focamos em um espírito social, de irmandade e compreensão.

Pautas e pautas postadas, ilustradas e, até mesmo, desabafadas, porém não consigo conceber a real sensação do que é um ano novo, um natal ou uma noite feliz.

Não é intangível, muito menos improvável, ao contrário, é simples, tão simples como uma gota d`agua que toca o chão da terra.

Porém o que é simples é complexo, ou melhor, como explicar a força da água que toca a terra, uma imensidão de grãos que compõem uma camada, e concluir que aquela gota tem a grande capacidade de exalar o lindo cheiro da chuva e irrigar o solo.

Coisas que parecem simples são extensas, como uma imensidão no azul do céu ou no azul do mar, são infinitas, e as palavras e expressões são invioláveis.

Agradeço por ter força, coragem e dignidade para o dia-a-dia, além de ter leitores do que eu posto e opositores do que eu faço, pois a aderência e divergência somam ao crédito de fazer mais e mais.

Não tenho do que reclamar, só agradecer e explicar que o sentimento é um vento capaz de tocar todas as almas que se deixam tocar pela graça de pensar.

Libertar um sentimento, uma palavra, uma expressão ou, até mesmo, um gesto é o símbolo mais claro de que participamos de uma democracia.

Desde já, nesta semana natalícia, desejo que o verdadeiro sentido do natal toque o coração de todos, independente de credo ou partido.

Desejo que todos lembrem que a luz do natal é a luz que brota da energia, fruto do encontro e desejo de coisas boas, naturais e reais, que somadas iluminam as ideias e os risos e plantam um significado para a palavra compreensão, amor e paz.

Vamos compartilhar o que é humano, característico de nosso coração, de nossas bondades e de nossas virtudes. Abraçar e agradecer ao próximo pela oportunidade de conviver em sociedade.

Agradecer a dádiva da vida, a simplicidade do complexo sistema que faz o ser viver.

Queria que meus braços fossem do tamanho do carinho que tenho pela vida, porém sei que posso representar o que não tenho com o gesto de devotar meus singelos e humildes votos.

Saúde, amor e paz!




quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Pensamento do Dia.

A verdade não é um ato, é a consequência da vida em nossa caminhada.

10 Músicas para o Verão.

O Verão, a estação que mais agrega o calor e combina com as férias de muitos brasileiros, começou hoje, dia 22/12/11, às 3:30 da madrugada.

E o que combina com o Verão.

Além de cuidados com a Desidratação (clique no link), um verão bem cuidado leva, sempre, boas recordações.

Nada melhor do que 10 músicas que identificam, na visão deste blog, com a Estação mais quente do ano.

Vamos as músicas:

1 - Garota Dourada


2 - Canção de Verão


3 - Só Você/Clarear


4 - Here Comes The Sun


5 - Chuvas de Verão


6 - Nós vamos invadir a sua Praia


7 - Do Leme ao Pontal / Descobridor dos 7 Mares



8 - Quando o Sol bater


9 - O Dia em que o Sol declarou o seu amor pela Terra.


10 - Águas de Março

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A Mídia e o Poder.

Nada mais célere do que um alarde, uma sirene ou um sinal visto por todos; logo, não é por simples conclusão que a mídia é considerado um 4º poder do Estado Democrático de Direito.

Lembramos que já temos o Executivo, Legislativo e Judiciário compondo os três poderes estatais, mas o 4º poder derivaria de onde?

A resposta é simples, do vulto do Estado.

A informação é um diamante bruto e deve ser manipulada para obter seu resultado final, fato é que a mesma manipulação sofre com os instrumentos utilizados por seu manipulador.

A Mídia, como nunca, detêm um forte poder de arruinar ou construir governos, colocar esquerda ou direita, ou provocar as maiores situações favoráveis ao seu próprio destino, porém, mesmo com o comando em mãos, ela não tem espaço para manipular da forma que quer.

É simples, de acordo com o regime politico, ou seja, de acordo com o estilo governamental a mídia sofre suas manobras.

Em regimes ditatoriais a mídia sofre maior repressão e não manipula as informações de maneira livre, porém no regime democrático ela manipula as informações do jeito que quer, mas dentro de parâmetros determinados pelo regime democrático.

Parece uma brincadeira de cão e gato, porém a mesma força que a mídia tem para implodir o poder ela recebe como coação e manobra.

Como em nosso país não existe alma, mas sim venda de almas, nossas organizações criam uma singularidade, um molde, impondo uma mídia padronizada ao dizer sim, já o povo é robotizado a dizer Sim Senhor.

A mídia manipula os indivíduos, forma opiniões, controla o comportamento e as atitudes da maioria da população, estes por não terem um senso critico suficiente para distinguir entre a mentira e a verdade, acreditam em tudo que lêem ou assistem e são concretizados por um sistema político que sucateia a população com a falta de educação, saúde,lazer e cultura.

Quando o poder judiciário fracassa, quando o executivo está descansando ou quando o legislativo entra em férias, ou pior, quando todos param, o quarto poder toma o domínio e enfrenta as situações como se tivesse todos esses poderes, mas quando os mesmos voltam de férias, eis que o poder reage e volta a ditar as cartas.

Certo é que quando a imprensa é vangloriada, seja a mídia impressa ou falada, é preciso ter medo, pois isso indica que a sociedade não vai bem, mas quando a sociedade não tem qualquer acesso a impressa a sociedade vive uma opressão.

Logo, vivemos no meio termo, onde a sociedade não vai bem com informações manipuladas e forjadas e a impressa que forja recua ante aos parâmetros opressores, que determinam onde e quando agir,


A Mídia e o Poder é a água com o azeite, não se misturam, mas fazem parte de um mesmo pote de água.

Pensamento do Dia.

Uma nuvem é igual a tristeza, quando guardamos na alma acarreta uma enorme tempestade, mas quando deixamos com a natureza o vento trata de carregar para longe.

Escolha, ou você tranca uma nuvem na garrafa da alma ou destranca a mesma para a imensidão da natureza.

Chuvas de Liminares.


A simples liminar caçando os efeitos do CNJ é efeito de um sistema climático que ocorre em todo o recesso dos Tribunais, a tempestade de liminares abraçando todos os tipo de impunidades e esquemas escusos.

No período de recesso não há pausa para os tribunais, pois todos devem atender os pedidos emergenciais, todos solicitados no Plantão Judiciário. É o momento que um Ministro, Desembargador ou Juiz assume todo o poder de um órgão, como o dever de respeitar os parâmetros legais.

O que seria uma forma de não cessar o acesso e proteção da lei, dada pelo judiciário, torna uma tormenta sem precedentes, com liminares escusas e todo o tipo de cascata política existentes.

Como exemplo, temos o seguinte quadro no STF:

- 2009: Gilmar Mendes concede liminar ao ex-médico Roger Abdelmassih (acusado de estupro em pacientes que fazia o procedimento de inseminação artificial), período o qual também suspendeu a demarcação de terras indígenas em Roraima.

- 2010: Celso Melo concede liminar a político fixa suja, Natan Donadon (PMDB/RO), além do Ministro do TST João Orestes.

E 2011???

Ainda vamos lamentar muito o mar político do recesso, onde a marola da impunidade inunda a sociedade em um mar de lama sem proporção.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

A Privataria.

Analisamos alguns trechos do livro tão aclamado e vendido nos últimos dias, e não pudemos esconder o contentamento com a bela vontade do ilustre repórter Amauri Ribeiro Jr em expor tanta sujeira daquela gestão.

Sem sombra de dúvidas o que ocorreu foi uma liquidação, inescrupulosa, chefiada por Sergio Motta, José Serra e outros tucanos, além da grande força pelas alianças “democráticas” como a do antigo PFL, agora DEM, e o atualíssimo PMDB, sempre na faixa da corrupção.

Voltamos ao velho discurso de que privatizar era necessário, mas dilapidar, sem qualquer tipo de pudor, o que é estatal, torna-se um fato intangível. Privatizar era necessário, pois o Estado não tinha capital para tanta modernização, já sucatear e alienar sem o mínimo pudor caracterizou um grande esquema de fraudes.

O que assusta, veementemente, são o tempo e a hora da divulgação de tal livro, na curva de uma reforma ministerial, preste a mudar a marca e o tracejo administrativo da atual gestão, a qual já conta com 7 Ministros tombados após inúmeros escândalos.

A diferença entre o cenário do livro e o cenário contemporâneo, simplesmente, está na sigla partidária, onde empresas e grandes grupos econômicos continuam vinculados em busca de consórcios, obras e oportunidade em compartilhar com a máquina pública a verba republicana.

Debatemos, por inúmeras vezes, o reflexo da politicagem neste país, a qual reflete, desde as convenções partidárias, a grande manipulação por lobistas e empresários, os quais patrocinam rótulos de Ordem e Progresso, porém com um conteúdo corrompido por contratos e filiações, buscando desde obras até cargos comissionados.

Empreiteiras lucram, bancos surrupiam e governos devastam a infra-estrutura social.
Não se enganem em ultrajar uma única figura, no caso o José Serra, já que o mesmo é uma vírgula do que é o José Dirceu fabrica nos bastidores do Planalto, ou seja, de José pra José o povo é quem vira Mané.

O livro veio em boa hora, já que serve para repartir, um pouco, o histórico de corrupção, mas não pode esconder a podridão que roda na Lavanderia Petista, alimentada pelos lobistas de plantão, além de grande, e históricos, aliciadores, que patrocinam governos e vendem um país.

Como já dito, não há mais ideologia partidária, mas o que existe é um povo que vota em alguém, mas não pelo o que ele é ou o que tem, mas sim pelo o que aparentar ter.

Só alcançaremos a reforma partidária mudando o partido, ou seja, recapacitando o mesmo para realizar sua verdadeira função social, a que é de eleger por suas convicções ideológicas e não alianças patológicas.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Um ano e várias tragédias.



Tragédia anunciada e impunidade concretizada, eis o que envolve as vítimas da tragédia da Região Serrana e a inércia do executivo em providenciar a normalidade, e moralidade, naquelas regiões.

Obras de fachada, inacabadas e bairros, ainda, devastados, sem manutenção ou qualquer tipo de manutenção.

Enquanto as regiões do Japão atingidas pelo Tsunami já estão, praticamente, aptas para seu funcionamento normal, todas as áreas afetadas continuam sem soluções, somente com placas de obras enaltecendo parcerias entre o Governo Federal e Estadual.

No Brasil prefeituras se aproveitam de tragédias locais para desviar recursos, o governo japonês dá um exemplo de probidade e seriedade, devolvendo o capital que não foi necessário para sua revitalização.

Ninguém deve se aproveitar da tragédia para lucrar e enriquecer, pena que nossos governantes não pensam assim.

Um detalhe chama a atenção, todos aguardam novas tragédias com o tema de que não dá para mudar algo em um ano.

Um pode ser um número simbólico, que mostra a dor de uma tragédia em contraposição a incompetência de nossos gestores.

Pensamento do Dia.

Por pior que seja a visibilidade, observe, sempre, alguma luz ou caminho, pois, para quem procura, sempre existe uma saída.

Pensamento do Dia.

No momento em que a alegria parece fugir é que observamos o verdadeiro sentido da alegria.

Mar de Petróleo.

Royalties são importantes, porém ficou bem claro que a destinação de tais verbas não foram direcionadas a prevenção e contenção.

É uma lógica de que o responsável pelo vazamento do óleo é o responsável pelo serviço de exploração, mas o certo é que o Estado, além dos Municípios, devem ter o mínimo de preparo contra qualquer tipo de vezamento.

Quando, em 1995, flexibilizamos as Estatais para as privatizações não refletimos que a ganância, em prol de alianças curtas e medidas pessoais, corroeriam em tanto nosso país.

Em muitos momentos parece que o Brasil padece de uma natureza extrativista, sem a mínima condição de produção, pior, parece que o Brasil é um gigante em natureza para o extrativismo. Vivemos de exploração, somente, dando o que é nosso e revertendo o pouco que ganhamos, com a matéria prima e sem fabricação, em desvios e esquemas multimilionários.

Ninguém sabe o real destino das verbas proveniente dos Royalties, nem como são transformados em obras de infraestrutura, no entanto é fato o tamanho do despreparo.

Também não podemos condenar, somente, o plano de privatizações, já que tal fato era necessário para o desenvolvimento mercantil e econômico de nosso país, porém em que aproveitamos ou para quem destinamos.

Não há diferença entre as privatizações Tucanas e Petista, pois no fundo existe a mesma corja, aves sanguinolentas que compram as siglas partidárias e constroem empresas em nome da política, cada vez mais suja e insalubre.

Carlos Minc, Secretário Estadual-RJ, revela não ter a mínima ideia da quantidade de tráfego e transportes por navegações fluviais em águas fluminense; logo, imagina quando Ministro do Meio Ambiente. Será que ele tem ideia do mar negro da ganância de poluem rios e sujam mares, praias, matam espécies e prejudicam o ecossistema.

Aonde está o velho Minc, Gabeira, Alfredo e outros?

O Mar de Petróleo nada mais é do que o vazamento do despreparo para o desenvolvimento e progresso, além do silêncio dos bons, que viraram cúmplices da venda de nossas riquezas.

Eles não vendem a própria alma, vendem a alma de um país!

Pagamos pela ganância e usufruímos os destroços do que era natural, tudo em forma artificial.

Ou respeitamos a natureza ou seremos tragados pelo o que é natural.

sábado, 17 de dezembro de 2011

Abismo Social.

Parece repetitivo, ou até mesmo retórico em alguns momentos, mas não há como furtar olhares e observações ao que acontece em nosso ciclo social.


Não chegarei a retórica para concluir o quanto a violência influencia em nossas vidas, muito menos expor, novamente, fatores que impulsionam atos tão desproporcionais. Simplesmente vou citar, pois o objetivo é refletir e observar que caminhamos num beco, onde o abismo é o fim do caminho.

Espancar até a morte e enterrar um cachorro leva em pânico uma sociedade, a mesma que paga flanelinhas, aceita certo tipo de corrupção (rouba, porém faz) e transfigura certas normas por mero descaso.

Jogar lixo nas ruas, buzinar em um trânsito parado, não desejar um bom dia, negar a vez ao mais idoso, desrespeitar os limites e etc são fatos corriqueiros, todos caminhando pelo beco escuro e sombrio.

A falta de compreensão e carinho com o próximo é visível em várias casas, onde a família não almoça ou janta, simplesmente pega o seu prato e vai para o seu canto, ou, de alguma forma, cria o seu refúgio.

O suposto refúgio nada mais é do que um isolamento, onde o último passo é o egocentrismo, amparado pela falta de parâmetro e respeito ao próximo. Não há mais famílias, há um grupo para uma morada.

A marginalidade não acaba no pivete, ou grande bandido, que rouba o próximo, inicia em nossos atos de mero desrespeito, que somado ao desrespeito de outros inicia um monte de bandalheiras.

A sociedade não caminha, corre sem rumo, sem nexo e sem direção, rompendo a barreira do absurdo e lançando-se ao abismo da crueldade e desilusão.

Aprendemos a comprar, porém esquecemos como se faz para conquistar, conquistar o bem-estar e proporcionar alegria e paz ao próximo e a si.

Fatos tristes crescem no dia-a-dia, corroborado por atitudes simples, mas que no fim agregam o monte de lama que atola o nosso desenvolvimento.

A população parece uma mercadoria, que vai perdendo o seu valor com o tempo e termina numa hiper liquidação de conceitos e vontades.

Reavaliar valores e conceitos não é uma opção, é uma necessidade!

É tão corriqueiro que encontrei várias postagens relacionadas ao assunto...

Até quando a sociedade vai se degradar? Até onde suportaremos?

Saúde, paz, amor e muita compreensão, é o que desejo.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Frase do Dia.

Não existe o acaso, pois você é quem faz o acaso acontecer.
A sorte até ajuda, mas é reflexo do merecimento e muita competência.
Fazer e acontecer, eis uma receita para um destino melhor!

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Frase do Dia.

Um dia melhor não depende somente do próximo, depende de suas ações e reações.
Pare, pense e depois faça!

Brasil Devastado


O Brasil demonstra o seu grande porte para o descaso com a coisa pública, e quando citamos a coisa pública falamos desde a arrecadação até a população.

Quase um ano após a grande tragédia da região serrana fluminense, Rio de Janeiro, o cenário continua frágil, sem obras de infraestrutura e reparação do que foi devastado anteriormente.

Pontes improvisadas, conforme reportagem da Band News FM-Rio, além de obras inacabadas e de custos altos são facilmente visualizadas, isolando, cada vez mais, as vítimas da enorme catástrofe, além de condenando as mesmas e outras pessoas a possibilidade de uma tragédia ainda maior.

Útil é aquilo que supre uma necessidade, não o que manobra uma necessidade, porém a política imposta nos canteiros de obras nas regiões afetadas demonstra bem a falta de cautela e descaso com a vida humana.

Obras lentas, inacabadas e inexistente, porém com muito comercial anunciando altos valores e futuras obras. A União e o Estado do Rio de Janeiro, em coadunação, envolvem, cada vez mais, interesses de marketing, demonstrando uma enorme falta de respeito com uma população que já sofre com os reflexos dos alagamentos e deslisamentos.

O Princípio da Publicidade Administrativa impõe a condição de anunciar, no canteiro de obra, os gastos, obrigações e causas, mas nunca de forma marqueteira,

Necessidades normais e úteis são manobradas pelo atual governo em uma estrutura com inúmeros tentáculos, que barram desde a reforma jurídica até aos paradigmas de evolução cultural e social de todos.

Uma sociedade justa é aquela que, dentro do parâmetro legal, vive sem fronteiras, respeitando direitos e deveres, já uma sociedade desigual é auquele que extrapola o parâmetro legal e elabora barreiras marginais, impedindo um conceito correto de ordem e progresso.

O Brasil está no passo de grandes nações, grandes nações sucumbentes pela ganância e ambição de seus gestores.

O Brasil demonstra um futuro límpido, cheio de desigualdades e corrupção.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Esta É a Vida

A vida é uma oscilação constante; logo, aproveite cada momento.


-----------------------------------------------

Esta É a Vida (That's Life)

Essa é a vida, é o que todos dizem
Você está bem em abril , baleado em maio
Mas eu sei que mudarei esse tom
Quando eu voltar ao topo, voltar ao topo em junho

Eu disse, essa é a vida, e é tão engraçada quanto possa parecer
Algumas pessoas têm seus incentivos no meio de um sonho
Mas eu não deixo, deixo que me faça mal
Porque esse velho e belo mundo continua a girar

Eu já fui um boneco, um indigente, um pirata, um poeta, um peão e um rei
Eu já estive acima, abaixo, sobre e fora, e uma coisa eu sei
Toda vez que eu me acho, achatado sobre minha cara
Eu me recolho meus pedaços e volto a corrida

Essa é a vida, Eu te digo, eu não posso negar
Eu pensei em desistir, mas meu coração simplesmente não aceita
E se eu não pensasse que valesse só uma tentativa
Eu pularia direto em um pássaro eu então voaria

Eu já fui um boneco, um indigente, um pirata, um poeta, um um peão e um rei
Eu já estive acima, abaixo, sobre e fora, E eu sei uma coisa
Toda vez que eu me acho, achatado sobre minha cara
Eu me recolho meus pedaços e volto a corrida

Essa é a vida , Essa é a vida e eu não posso negar
Muitas vezes eu pensei em cortar tudo , Mas meu coração não aceita
Mas se não houver nada de bom que venha neste julho
Eu vou me rolar como uma grande bola e morrer

Meu, meu...!

Transporte Maquiado.


Trens circulando com portas abertas, barcas batendo, ônibus pegando fogo e trânsito em colapso são resumos do caos no trânsito na cidade do Rio de Janeiro, porém não só no Rio.

O país inteiro sofre, utilizando um transporte decadente, em mãos de empresário associados com alianças escusas, funcionário massacrados e sindicatos fraudados.

Quem trabalha nas empresas, portadoras de um notório e crescente transporte ineficiente, também sofre com as condições de trabalho.

Para quem acha que os eventos internacionais proporcionarão mais eficiência, eis a decepção.

Pelo menos no Rio de Janeiro o investimento maior está em vias expressas para a locomoção de ônibus, aqueles que são abastecidos com combustíveis fóssil, porém encobertos com um biodiesel que compõe menos da metade de todo o componente.

Na Bahia, o metrô vai expandir uma linha de poucas estações, que são tão poucas e inativas, já que são objetos de embargos, por suspeita de fraude, desde a época do Antônio Carlos Magalhães.

Carro são vendidos, assim como habilitações em quadrilhas nascidas no ninho de cobra da corrupção, já as motos são mais do que vendidas, são transformadas em um objeto de morte em um trânsito caótico e sem o mínimo de respeito.

Falando em respeito, não há educação no trânsito das grandes cidades, reflexo da frágil rede de educação neste país.

Aeroportos são alvos de licitações, as quais, com toda a certeza, nos moldes do projeto apresentando, serão licitados e superfaturados, aumentando os custos dos serviços com o fim de modernização, porém com uma maquiagem encima de outra maquiagem.

Teremos puxadinhos na Copa, ou melhor, aeroportos com instalações provisórias, em forma de lona (igual ao aeroporto do Maranhão), obtendo uma quantidade grande de palhaços, ou melhor passageiros.

Possivelmente o próximo projeto na aviação será a implantação de asfalto na ponte-aérea Rio x São Paulo.

Falando em Rio x São Paulo, eis que surge um lobby suspeito.

O que faria Kassab na Alerg, o Prefeito de São Paulo e criador de uma nova sigla política, sem posição partidárias, porém com fins societários.

Não me assusta uma aliança Cabral + Kassab, pois como diz o mentor, Sr Lula Molusco, se Deus estivesse na terra faria aliança com o diabo.

Assustador o descaso, assim como as comparações e proporções de anos e anos numa cultura, cultura da maquiagem.

O Vídeo abaixo foi enviado pelo @celprpaul, um grande amigo combatente e que acredita na dignidade e respeito ao próximo.

Frase do Dia.

Você não precisa ser o melhor para ser considerado, mas necessita ser humano para compreender que não todos sabem o que é consideração.
Faça, porém nunca espere a recompensa.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Agradecimento

Eu agradeço por cada gota de suor, cada esforço feito, por todas as alegrias, além de poder superar e tristeza.

Agradeço, simplesmente, por existir e fazer parte deste grupo chamado mundo, de ser gente, de amar de ser amado, ou não correspondido.

Agradeço por ter a possibilidade de existir e falar, escrever e expressar, trabalhar e acordar, viver e viver.

Agradeço pelo sol que me ilumina e aquece, pelo frio que me contenta e refresca, pelo vento que toca em meus cabelo, pela dádiva da vida e sua simplicidade magistral.

Agradeço por poder agradecer, falar e testemunhar mais um dia de vida.


Muito obrigado por mais um dia!

Frase do Dia.


Se a paciência parece inimiga do tempo lembre que o tempo é o senhor da razão.
Tenha paciência dentro do limite, pois o próprio tempo lhe trará a razão.



domingo, 11 de dezembro de 2011

Pensamento da Semana.

Tenho escrito mais do que pensei, e penso mais do que pensava antes, já que percebi que o mundo não resume apenas as nossas expressões sociais.

Quando vejo a TL de um Twitter observo um mundo gigante em informações, mas quando eu observo o Mundo chego a conclusão de o quanto a tl é inferior a sua proporção em informações.

Não resumo a vida em pequenas observações ou em grandes pensamentos, apenas resume ao nosso aprendizado ao observar e analisar todos os momentos que passamos.

Pense, observe e saboreie todas as sensações e oportunidades da vida.

Uma excelente semana!

sábado, 10 de dezembro de 2011

Frase do Dia.

Na vida tudo é um aprendizado, seja o amargo ou doce o sabor da experiência.

Faudalismo






















O Feudalismo é um sistema oriundo da Agricultura, onde os grandes proprietários de terras dominavam todo um ciclo social de um determinado local, ou seja, desde aos direitos sociais de moradia, lazer, emprego e saúde, até ao destino do próprio ser com a sua propriedade.

O sistema sócio-político-econômico feudal caracterizava-se pelas relações servis de trabalho (ou de produção), pela descentralização do poder político e pela quase imobilidade social, onde o povo não tinha outro sistema, outro recurso, sendo extremamente dependente ao seu Senhor.

O Capitalismo sepultou, em parte, o Feudalismo, o qual entrou em decadência, mas continuou em status, pois, mesmo com um mercador aberto e industrializado, a população de localidades afastadas ainda dependem de seus senhores para trabalho, moradia, alimentação e outras necessidades básicas.

A Criação de dois novos Estados, em regiões com predominância miserável em arrecadação e direitos básicos, é a concretização da velha ideologia feudal, a mesma que favorece há décadas famílias como Sarney, Magalhães, Mello, Queiros, Pascoal e outras.

Verdade é que o sistema é feudalismo nos extremos sociais, onde a miserabilidade social é maior e a dependência entranhada ao monopólio de propriedades e pertences domina uma região inteira.

Lastimável, mas todo o reflexo político que assistimos, com os ditos Barões do Planalto, é mero reflexo se sua origem feudal, pois seu controle impõe a seus subordinados a obrigação de proteção, e seus subordinados são seus escravos apelidados de cidadães, além de seus subordinados subornados, mas, em ambos os casos há uma única cela que prende a todos, a corrupção.

Subordinados Cidadães e Subornados Administradores, Legisladores e Judiciários, todos corroídos pela bactéria da corrupção.

Grande Circo


Leiam, depois, um antigo artigo: Passividade Colonial

Gigante pela própria natureza, o Brasil é uma analogia ao Grande Circo, em homenagem a cada palhaço que faz parte dele.

Vejamos... mais de 180 milhões de palhaços no picadeiro, onde o público são estrangeiros, que pagam alto para explorar nosso mercado, nossos bens e alienar nossos consumos.

O brasileiro é o artista que, em espetáculos circenses ou em outros, se veste de maneira grotesca e faz gracejos, momices, pilhérias e trejeitos, às vezes combinados com malabarismos, para divertir o público estrangeiro, como se fosse uma colônia a ser explorada, reportando-se aos paradigmas e culturas alheias.

A grande terra da miscigenação, como diria o saudoso Professor Darcy Ribeiro, é um picadeiro gigante, onde vários palhaços sobrevivem a regra do jogo ditado por palhaços maiores, posicionados ao planalto central do espetáculo e recebendo, sempre, aplausos e pedidos ofegantes, como o acesso a democracia justa e aos direitos básicos de um ser.

Hoje é Dia do Palhaço, dia 10 de dezembro, mas deveria ser o Dia do Brasileiro, destinado a comemorar o perfil imposto a nossa margem populacional.

Embora existam palhaços que usam carregar muito a maquiagem, eles são a essência da representação do humano, e, por isso, devem moderá-la para que apareça a pessoa por trás do nariz. O corpo e o olhar são os principais instrumentos de relação do palhaço com seu público.

Viva ao Brazil!

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Pensamento do Dia.

O melhor remédio para quem precisa de ajuda são a compreensão, o carinho e o conforto de um gesto alegre e confiante.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Humanidade Degradada.


Parece uma marca tatuada, onde o pigmento de desumanidade e desonestidade aflora ao ser social.

A cidade está tatuada, com várias manchas de caos e imoralidade.

O ser humano não é amoral, pois nascemos com o conceito mínimo de moralidade, porém o ser humano irracional, como um cachorro, não tem o mínimo conceito do que é moral ou imoral; logo, é amoral.

O que dizer de um ser imoral que enterra vivo um ser denominado amoral?

Parece um devaneio, ou uma dissertação sem apontamentos coerentes, contudo, analisando o caso concreto, vislumbramos a imoralidade que toca a sociedade quanto ao conceito de vida.

Vida é para viver, respeitar e ser zelada, sem ameaças e sem violação. É um direito que nasce no berço, com a primeira respiração do ser, porém exaure com a morte do mesmo, de forma natural.

Matamos, decapitamos e exterminarmos outros humanos, sejam morais, imorais ou amorais, com a mesma simplicidade de quem pratica um genocídio em prol de algo melhor. Como matar alguém pode vislumbrar algo melhor.

Sujar as mãos com sangue alheio, mesmo que em defesa, é, de certo modo, desumano, pois não podemos atentar contra a vida, jamais.

Enterrar um cachorro vivo, um ser que é amoral, é tão imoral quanto sentenciar alguém a pena de morte, lembrando que em nosso país não vigora tal lei. Assustadora a notícia de que um Cachorro é resgatado após passar 12h enterrado em Novo Horizonte, SP. Como alguém pode enterrar um outro ser vivo?

Surrupiar os cofres públicos, em um país tão rico em natureza e tão pobre em educação e trabalho, é o mesmo que rasgar o direito de ser eleito, pois elegemos para o bem e não para a marginalidade.

Degradação Social, eis um termo que resume a situação moral e cultural de todos.

Celebramos, nesta data, o feriado jurídico do Dia da Justiça ( 8 de dezembro), no entanto esquecemos que só existirá um conceito natural e coerente de justiça no momentos em que a sociedade agir com moralidade e igualdade.

Um feriado jurídico tão importante, quanto o Dia da Justiça, é comemorado com as portas de fóruns fechados, interrompendo a atividade do judiciário. Seria justo comemorar o Dia da Justiça trabalhando, pois chegar ao conceito do que é justou ou injusto é fruto de muito trabalho e dedicação.

Só resta uma conclusão, a que a sociedade degradou em seus próprio conceito de ser e existir, corrompido pela desonestidade e imoralidade tatuada por anos de injustiça e impunidade.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Frase do Dia.

A escolha certa não é um parâmetro social, é a atitude combinada com a humildade e determinação.



terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Greve Democrática.

A Greve não é intelectual, muito menos moral, mas sim tendo em vista o atual cenário brasileiro de repressão a voz da democracia.

Vivemos na tirania, onde uma massa, chamada monopólio, articula a justiça, o judiciário e o legislativo em prol de interesses escusos e motivos marginais.

Postem, no comentário, o que mais lhe maltrata em nossa democracia e o que você gostaria para um futuro melhor.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Frase do Dia.

Diferenças não devem ser tratadas como opostos, mas sim como possibilidades de complemento ao que é considerado diferente.

Pensamento da Semana.


Desistir não é o caminho para vitória, mas lutar até ao fim, mesmo que perca, é ser um vitorioso.
Lute sempre, no jogo e na vida!


sábado, 3 de dezembro de 2011

Pensamento do Dia.


Da vida só levamos os momentos que cultivamos.

Já cultivou a vida?

Vamos plantar o bem!

Um País para todos?


Acesso ao trabalho, bolsa família, PAC's e vários programas assistencialistas.

Enriquecemos um país, mas esquecemos do verdadeiros enriquecimento que sustenta um coração, uma nação e o verdadeiro ser: a cultura.

Ministros caem, times são campeões, pessoas morrem em filar e o povo comemora algo que julga como o milagre da vida.

Esmola, sempre é a esmola que sobra ao povo, como uma lata vazia, onde o barulho de uma moeda entrando enche de esperança uma nação, porém com algo que é muito pouco.

Muito pouco, todos satisfeitos com pouco, sedentos de mais, mas sedentários de algo, algo que seria a motivação, mas a motivação foi erradicada pela miséria e tragédia, tragédia de achar que tudo é normal, porém é tudo corruptível, degradado e resto do resto da lama.

Sem cultura você não tem a liberdade, a expressão, o verdadeiro sentimento e a paz em saber o que é usufruir da verdadeira democracia.

Só existe um país Democrático com o acesso de todos a real informação do que é democracia, na concepção da palavra e percepção no dia-a-dia.

Cultura e educação não valem votos, pois a miséria é quem sustenta a corrupção.

Assistam o vídeo abaixo, analisem a comédia da vida de muitos brasileiros e vejam a desgraça de um país para poucos.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Frase do Dia.


O silêncio da noite identifica o barulho dos pingos d'águas que tocam na terra e brotam o cheiro de natureza.

Viver é muito bom, mas sentir a vida surgir em cada passo é especial!


Pensamento do Dia.

A saudade não é uma barreira, é o valor do verdadeiro sentimento refletido pelo tempo.

P.S.: Se você sente saudades de alguém, aproveite o momento e entre em contato.

FMI do Brasil.



















O FMI anunciou: o Brasil é um exemplo em segurança financeira.

Um grande elogio para quem, um dia, foi pedinte de esmola financeira.

Porém, o que mudou?

Nada, continuamos no critério de esmola, pelos corredores do Mundo pleiteando investimento em troca de um superfaturamento.

O raciocínio é lógico: se você é cliente, sempre será cortejado quando está com a conta no azul, já no vermelho... O FMI é um banco, que vende títulos, ideias e ilusões.

Enquanto o Governo explora o noticiário que o Brasil está mais protegido contra a crise, o FMI vende o estímulo de consumo.

Vamos consumir mais, esgotar o 13º em compras voláteis e esgotar nosso crédito, já que assim como o FMI, a população conta com um grande banco para grandes empréstimos com juros gigantes no ano de 2012, precisamente em janeiro.

Contamos com os sanguessugas capitalistas que vendem flores e exploram pobres.